×
379
Fashion Jobs
keyboard_arrow_left
keyboard_arrow_right

Tom Ford foi a marca de luxo mais pesquisada na Europa, diz a Kelkoo

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
today 4 de jan de 2019
Tempo de leitura
access_time 3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

A Tom Ford ficou no topo da lista das marcas luxo online mais populares na Europa, de acordo com uma nova pesquisa do serviço de comparação de compras e publicidade de e-commerce Kelkoo.


Tom Ford


A pesquisa analisou os hábitos de consumo online nos cinco maiores mercados de retalho europeus (Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Espanha) e identificou as marcas mais procuradas, e a Tom Ford superou as restantes na Europa. Algo que provavelmente terá sido mais impulsionado pelos extremamente populares produtos de beleza da marca e por produtos como óculos, do que pela sua oferta de moda ultra-dispendiosa.
 
Na verdade, raramente a marca ficou abaixo do terceiro lugar em mercados individuais, o que lhe permitiu empurrar a Gucci para o segundo lugar, com a Chanel no terceiro lugar, depois a Prada em quarto lugar e a Dolce & Gabbana a completar os cinco primeiros. O resto do top 10 foi formado pela sexta colocada Yves Saint Laurent, seguida pela marca de beleza Guerlain, a fabricante de canetas de luxo Mont Blanc, a Versace e a relojoeira Tissot.

Não só a Tom Ford conquistou o primeiro lugar, como foi a única marca americana presente no ranking da Europa como um todo.
 
No Reino Unido, porém, a Tom Ford teve que se contentar com o segundo lugar atrás de uma Prada ressurgente. E, por incrível que pareça, a Gucci não conseguiu um lugar no top cinco. Apenas alcançou o nono lugar.

Como mencionado, a Tom Ford ficou no segundo lugar na lista do Reino Unido, com a Versace em terceiro lugar à frente da Tissot, Fendi, Chanel, Balmain, Dolce & Gabbana e depois a Gucci e a Stella McCartney. O maior nome do luxo do Reino Unido, a Burberry, ficou fora do top 10, mas pelo menos a presença de McCartney garantiu um nome britânico.

Segundo a Kelkoo, houve uma tendência subtil para as marcas locais serem mais populares em determinados países. Stella McCartney não marcou presença em nenhuma das outras listas europeias, pelo que o seu status no Reino Unido ajudou-a claramente junto dos consumidores britânicos.
 
Da mesma forma, a francesa Sonia Rykiel conseguiu o segundo lugar no seu país de origem, enquanto a Gucci ficou em primeiro lugar em Itália, apesar do lugar menos cimeiro na Europa.

Naturalmente, os números podem não ser infalíveis, uma vez que pesquisas conduzidas por outras plataformas podem produzir resultados diferentes. Mas, a Kelkoo fornece aos retalhistas por toda a Europa 289 milhões de leads anuais, ou seja, o número de vezes que os clientes se conectam diretamente com as lojas virtuais dos retalhistas, o que representa um número significativo.

Algo que reflete o quão importante são os marketplaces e os especialistas em pesquisa para impulsionar o tráfego de luxo, especialmente quando o setor do luxo finalmente ganha consciência da importância das vendas online.

Richard Stables, CEO da Kelkoo, disse: “O comércio eletrónico já não é apenas uma opção para compradores high street, os marketplaces online são cada vez mais um terreno lucrativo para compras de luxo. Os retalhistas estão a tornar-se cada vez mais conscientes da importância do online para as suas marcas, em vez de se concentrarem numa abordagem restrita à loja.”

Copyright © 2019 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.