Tommy Hilfiger apresenta desfile estratégico em Xangai

Depois da América do Norte e da Europa, a Tommy Hilfiger apresenta o seu quinto desfile see now, buy now "Tommy Now" na China. Com a participação de Lewis Hamilton, o desfile realiza-se em Xangai no dia 4 de setembro. Antes mesmo da apresentação, a marca já revelou as primeiras peças da coleção-cápsula “Tommy X Lewis”, inspirada no estilo de vida do piloto da Fórmula 1.


Shawn Yue, Lewis Hamilton e Maggie Jiang - Tommy Hilfiger

Uma escolha altamente estratégica para a marca do grupo PVH, que não esconde as suas intenções de desenvolvimento na China, onde as vendas de roupa desportiva estão a crescer, de acordo com projeções de um estudo da Euromonitor, que estima que estas devem exceder as vendas de luxo até 2020. Na junção entre os dois mundos, a Tommy Hilfiger acredita ter um grande potencial.

Em abril de 2016, o grupo retomou a totalidade das ações da joint venture que administrava os seus negócios na região desde 2010. A aquisição de cerca de 172 milhões de dólares foi considerada como um "desenvolvimento significativo" para a Tommy Hilfiger, de acordo com Emanuel Chirico, diretor geral do grupo PVH.

No momento da compra dos 55% que não controlava na China, a marca contava com 350 lojas na região, sendo 65 operadas diretamente. Na altura, Daniel Grieder, diretor geral da Tommy Hilfiger, fez a seguinte declaração: "Estamos ansiosos por operar com uma estratégia totalmente integrada na China, que pode tirar proveito da dinâmica regional. Isso permitir-nos-á transformar melhor as oportunidades de crescimento, oferecendo uma gama mais ampla de produtos Tommy Hilfiger e uma apresentação mais completa da marca. Vamos acelerar o crescimento aumentando o nosso marketing na China e planeamos investir ainda mais para impulsionar a expansão da marca através de novas aberturas de lojas, próprias e franqueadas, e para melhorar a produtividade das lojas existentes, enquanto expandimos as nossas iniciativas de marketing tradicional e digital.”

Atualmente, a aquisição já foi digerida e o grupo está pronto para acelerar no mercado chinês, cuja atividade foi estimada em cerca de 250 milhões de dólares em 2015. Durante o ano fiscal de 2017, a Tommy Hilfiger viu a sua faturação internacional superar a marca dos 2 mil milhões de dólares, um aumento de 9% a taxas de câmbio constantes. No último trimestre, esse crescimento foi de 20%, e o grupo destacou a contribuição da China neste crescimento.

"À medida que continuamos a desenvolver a marca, investimos na estrutura e explorámos diretamente mais espaço nas principais cidades e nas secundárias. Estou satisfeito por ver que estamos a tornar-nos mais visíveis no mercado graças às nossas ativações locais”, declarou Emanuel Chirico na sua última reunião trimestral com analistas financeiros. "Vemos que a notoriedade da marca e o desejo de compra continuam a melhorar”. Com esta dinâmica, o diretor geral confidenciou recentemente que considera retomar o controlo direto de outros mercados asiáticos, como Hong Kong, Macau ou países vizinhos.


Maggie Jiang, musa de Tommy Hilfiger para a sua moda feminina na China - Tommy Hilfiger

O desfile de terça-feira (4) deve reforçar essa opção estratégica. De âmbito global, vai repercutir muito fortemente em toda a zona de influência chinesa. Juntamente com Lewis Hamilton e as estrelas americanas Winnie Harlow e Hailey Baldwin, a marca recrutou a chinesa Maggie Jiang. A atriz de 31 anos é uma das musas da coleção-cápsula Tommy Icons. Com o ator Shawn Yue, contratado no ano passado, a Tommy Hilfiger tem assim uma dupla fascinante para a representar no enorme mercado asiático.

E para aproveitar ao máximo o evento de Xangai, a Tommy Hilfiger aposta na sinergia com os principais players chineses para explorar o conceito Tommy Now. A marca já está presente no T-Mall e no JD.com. “Continuamos a expandir a nossa oferta nesses sites a cada temporada”, diz Emanuel Chirico. "São o nosso principal canal de distribuição online, e o comércio eletrónico está cada vez mais presente em todas as nossas atividades na Ásia e na China". Sendo assim, a marca decidiu desenvolver um plano de acção com o T-Mall para o dia 4 de setembro: a Tommy Hilfiger vai realizar ativações na plataforma e estarão disponíveis produtos no site chinês.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirEventosNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER