×
306
Fashion Jobs
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
20 de nov de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Tommy Hilfiger nomeia Avery Baker presidente e chefe de marca

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
20 de nov de 2020

A Tommy Hilfiger, uma marca propriedade da PVH Corp, nomeou Avery Baker como presidente e diretora da marca, uma função recentemente estabelecida, com efeitos desde 17 de novembro. No papel, Baker desenvolve a responsabilidade global pelos produtos, marketing e experiências da marca em todas as categorias, regiões e canais, disse a Tommy Hilfiger.


Avery Baker, a nova presidente e diretora da Tommy Hilfigers - Tommy Hilfiger


Avery Baker juntou-se pela primeira vez à Tommy Hilfiger em 1998 e desempenhou múltiplas funções nos escritórios globais da empresa, incluindo a de diretora de Marketing e diretora de marca. A sua nomeação como presidente e CBO marca o regresso à marca após ter partido em meados de 2009 para se concentrar na família, acrescentou a Tommy Hilfiger.

Particularmente, durante o período como diretora da marca, Baker esteve por detrás de algumas das estratégias de construção de maior sucesso de Tommy Hilfiger, as quais têm vindo a impulsionar o crescimento do negócio e a impulsionar a exposição da marca, um ingrediente chave para o sucesso num cenário de moda dominado pelo digital. As suas contribuições notáveis incluem o desenvolvimento do TommyNow, o desfile itinerante da Tommy Hilfiger com o conceito "veja agora, compre agora" lançado em 2016 numa colaboração da marca com Gigi Hadid; bem como o renascimento do rótulo Tommy Jeans inspirado nos anos 90.

Foi também responsável por facilitar colaborações de alto nível com parceiros como Hadid, assim como Lewis Hamilton, Zendaya, Kith e Vetements, aumentando a relevância da marca e trazendo uma visão renovada para a geração mais jovem de consumidores.

Michael Scheiner, que tem desempenhado o cargo de chefe de Marketing Global da Tommy Hilfiger desde outubro de 2019, deixará a marca.

"Avery tem uma profunda sensibilidade pela herança e ADN da Tommy Hilfiger, com um historial de lançamento de iniciativas de consumo impactantes que impulsionam tanto a marca como o negócio", disse Martijn Hagman, CEO, Tommy Hilfiger Global e PVH Europa.

"O compromisso com produtos desejados e marketing de classe mundial está no centro da nossa visão para nos tornarmos uma verdadeira marca global que lidera com propósito. Estamos entusiasmados por acolher Avery de volta à família Tommy Hilfiger para liderar a marca em ambas as áreas e desbloquear todo o seu potencial global".

"Nestes tempos desafiantes, as marcas têm uma oportunidade e uma responsabilidade de fazer a diferença na vida dos consumidores", disse Baker. "Acredito que a Tommy Hilfiger pode ter um enorme impacto positivo como uma empresa que é amada tanto pelas nossas ações como pelos produtos excecionais que concebemos.

"Estou entusiasmada por embarcar nesta nova viagem com Tommy, Martijn, e as nossas equipas de liderança na Europa, Ásia Pacífico e Américas, enquanto trabalhamos para alcançar o potencial a longo prazo em cada região e transformar a empresa de dentro para fora, da cultura ao consumidor, para se tornar uma empresa construída para a década de 2020".

Como tantas outras no setor, a empresa-mãe PVH, que também é proprietária da Calvin Klein, sentiu o impacto da pandemia de COVID-19. A empresa foi particularmente afetada pelo seu negócio na América do Norte, levando a PVH a sair do negócio de retalho de marcas históricas e a cortar 450 postos de trabalho em toda a empresa em julho, num esforço para racionalizar as suas operações na América do Norte.

Embora os resultados do segundo trimestre da PVH tenham excedido as suas expectativas a meio da pandemia, a empresa ainda reportou uma diminuição de 33% nas receitas para 1,581 mil milhões de dólares em comparação com o período do ano anterior. As receitas da empresa através dos seus canais digitais cresceram mais de 50%, com as vendas através dos seus negócios de comércio digital operados diretamente a crescer 87% em comparação com o período do ano anterior.

No trimestre, Tommy Hilfiger registou uma diminuição de 28% nos seus negócios em comparação com o período do ano anterior, incluindo uma diminuição de 51% em Tommy Hilfiger North America e uma diminuição de 14% em Tommy Hilfiger International, com a China a apresentar resultados positivos de ano para ano.

A PVH previu que as receitas no segundo semestre do seu ano fiscal diminuíssem 25%.
 

Copyright © 2020 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.