Triunfo de França no Campeonato do Mundo leva patrocinadores à vitória

Tratou-se de uma vitória que transcendeu França e os franceses e chegou a todo o mundo. O desempenho da seleção francesa, que derrotou a seleção croata por 4 - 2, no domingo, 15 de julho, no final do Campeonato do Mundo de futebol, deu origem a cenas de júbilo e alegria coletiva que se estenderam pela noite. Mas, além da euforia francesa, a partida funcionou ainda como plataforma de marketing para alguns players da moda e do luxo.


Filme da Nike em celebração da vitória francesa 

Enquanto a Adidas esteve em foco no torneio enquanto fornecedora oficial da bola usada nos jogos e com a sua publicidade nos painéis laterais, a Nike foi a grande vencedora em termos de equipamentos. Na final, tanto a seleção francesa como a croata foram equipadas pela marca americana.

"Tivemos um grande sucesso, com três das quatro equipas das semifinais (França, Croácia e Inglaterra) vestidas por nós, e fornecemos 65% de todas as chuteiras que pisaram os relvados”, disse à AFP Elliott Hill, diretor da divisão responsável pelos clientes e mercados da marca americana.

Com acordos de patrocínio estabelecidos em 2014, a Adidas viu a Alemanha, a Espanha e a Argentina, as suas três equipas principais, serem eliminadas nas primeiras fases. Apesar da deceção desportiva das suas equipas, a empresa alemã havia anunciado, em junho, esperar vender 8 milhões de camisolas das suas seleções durante o torneio, um número superior ao registado no Campeonato do Mundo do Brasil, em 2014. Com a vitória da equipa francesa, com quem que tem acordo até 2026, avaliado em 50,5 milhões de euros por ano, a Nike pode esperar fazer muito melhor.


Natalia Vodianova apresentou o troféu antes da final

Mas, mesmo antes do início da final do torneio, foi uma marca de luxo que ganhou visibilidade mundial. O troféu do Campeonato do Mundo foi levado para o campo numa pequena maleta prateada, feita sob medida pela Louis Vuitton. Natalia Vodianova, musa da Louis Vuitton e esposa de Antoine Arnault, desvendou o troféu na companhia de Philipp Lahm, ex-capitão da seleção alemã que saiu vitoriosa da edição anterior.

Uma vez iniciado o jogo, começou o desfile das marcas desportivas. Antoine Griezmann, embaixador da Puma (tal como Olivier Giroud), marcou um penalti e Paul Pogba, figura de proa das campanhas da Adidas, colocou com o pé esquerdo a bola na rede de Danijel Subasic, o guarda-redes croata.

Paul Pogba, embaixador da Adidas

Do lado croata, Mario Mandzukic e Ivan Perisic, que marcaram os dois golos, estavam calçados com chuteiras Nike, tal como Luka Modric, jogador da seleção da camisola quadriculada eleito o melhor jogador do Mundial.

No campo, a Nike associou-se particularmente aos talentos franceses. O Campeonato do Mundo testemunhou o aparecimento de uma nova estrela do futebol mundial, Kylian Mbappé. O jovem internacional francês, fator X da equipa francesa durante a competição, foi calçado pela Nike com um modelo feito em colaboração com a Off-White.


Simon Porte Jacquemus com as duas estrelas

A Nike também escolheu uma imagem do atacante para comemorar a vitória da seleção francesa. Kylian Mbappé, sorridente, ostenta a camisola da seleção francesa, cujo galo, o emblema nacional, está decorado com duas estrelas. Uma camisola igualmente vestida por Jay-Z e Beyoncé durante o seu concerto no Stade de France e também por Simon Porte Jacquemus. A Nike havia oferecido a camisola azul ao estilista francês antes da partida, que a usou enquanto publicava no Instagram da Vogue Homme como convidado. Uma maneira de comunicar com os franceses… mas também com o futebol e a moda.

Com AFP

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - CalçadosDesportoNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER