×
303
Fashion Jobs
DIRETOR(A) INDUSTRIAL
Diretor(a) Industrial
Efetivo · MONACO-VILLE
GIANNI KAVANAGH
PR / Influencers Management
Efetivo · BRAGA
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services Bik - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Comprador de Vestuário (m/f)
Efetivo · Porto
CONFIDENCIAL
Country Manager Iberica Textile
Efetivo · PORTO
SALSA
Ecommerce Product Manager – Desenvolvimento do Negócio Digital da Marca
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
SPORT ZONE
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
DAMA DE COPAS
Consultora de Lingerie
Efetivo · PORTO
THE KOOPLES
Sales Assistant 16h - Eci Lisbon
Efetivo · LISBOA
EMPRESA DE MODA NO SETOR DO LUXO
Vendedor/a de Loja de Gama Alta
Temporario · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Foz Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Figueira da Foz
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Coimbra cc Forum Coimbra - CDI - Part-Time - 20h - m/h
Efetivo ·
COURIR PORTUGAL
Sales Assistant - Lisboa cc Chiado - CDI - Part-Time - 20h - m/h
Efetivo · LISBOA
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
27 de mai. de 2022
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

UE quer criminalizar a violação de sanções contra a Rússia

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
27 de mai. de 2022

A Comissão Europeia propôs, na quarta-feira (25 de maio), a criminalização da violação das sanções da União Europeia contra a Rússia, permitindo aos governos do bloco confiscar os bens de empresas e indivíduos que fujam às restrições.


UE quer criminalizar a violação de sanções contra a Rússia - Reuters


A violação das sanções da UE contra a Rússia é atualmente uma infração penal em 12 países da UE. Em 13 outros, ou é uma transgressão administrativa ou penal, e em dois outros, apenas uma administrativa, disse o comissário de justiça Didier Reynders.
 
A proposta da Comissão Europeia visa unificar estas regras para tornar a evasão de sanções um crime grave em todos os 27 estados membros, disse numa conferência de imprensa.

"As propostas hoje apresentadas visam assegurar que os bens das pessoas e entidades que violam as medidas restritivas possam ser efetivamente confiscados no futuro", disse a Comissão Europeia num comunicado.
A UE congelou 10 mil milhões de euros em ativos físicos e mais de 20 mil milhões de euros em contas bancárias de oligarcas russos que apoiam a guerra criminosa da Rússia na Ucrânia.
 
Antes que estes bens possam ser confiscados e vendidos, os oligarcas devem ser condenados por evasão a sanções ou outros crimes, e os bens apreendidos devem estar ligados apenas a esse crime.
 
A nova legislação da UE, que deve ser aprovada por unanimidade pelos governos da UE e obter uma maioria no Parlamento Europeu para ser adotada, também penaliza aqueles que ajudem a violar as sanções.
 
A Comissão Europeia propôs igualmente facilitar, em geral, o confisco dos bens dos criminosos na UE, permitindo a imposição de um congelamento de bens antes de uma decisão judicial o confirmar.

Neste âmbito, na quinta-feira (26), a Lusa anunciou que o governo português autorizou a venda do Chelsea Football Club pelo oligarca russo Roman Abramovich, com passaporte português, com a condição de as receitas serem usadas para fins humanitários.

Portugal recebeu na noite de terça-feira (24) uma carta de Abramovich, pedindo autorização para a venda do clube de futebol inglês Chelsea. A venda do Chelsea, ainda detido por Abramovich e alvo de sanções ligadas à invasão ilegal da Ucrânia por parte da Rússia, a um consórcio liderado pelo bilionário norte-americano Todd Boehly, foi comunicada no dia 7 de maio.
 
O clube britânico, terceiro classificado na última edição da Premier League, atua com limitações por causa destas sanções.
 

(Reportagem de Francesco Guarascio e Valentine Baldassari; com edição de Kate Entringer.)
 

Copyright © 2022 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Tags :
Negócios