Valerius e bloggers britânicas: a mesma luta!

A Valerius estabeleceu uma parceria com uma empresa britânica para produzir roupas com a marca própria de seis bloggers inglesas, cada uma delas com a legião de seguidores que oscila entre os dois e os três milhões de pessoas.



“Anda toda a gente à procura de preço, mas quando se trabalha para um nicho de mercado a margem é maior. Mandamos as peças para um centro de logística, que faz a distribuição.  A logística é um parceiro, que quer despachar rápido para ter maior rentabilidade – 10% da margem são para a logística e portes, a blogger fica com 22%, o que é muito bom”, explica José Manuel Vilas Boas Ferreira, presidente do grupo Valerius.

O projeto está na fase final de ensaios, sendo que as bloggers já vieram a Portugal, com equipas britânicas que as filmaram a desenharem as suas coleções, acompanhadas pela equipa de designers Valerius.

“Para o primeiro teste, o agente inglês encomendou-nos mil peças de cada produto. Nós perguntámos-lhe se ele tinha noção do que estava a comprar. Ele respondeu que tinha a perfeita noção de que a quantidade que estava a comprar se ia esgotar em três dias – e que há potencial para se venderem 15 milhões de peças. O mundo mudou”, conta o empresário da Valerius.

O projeto bloggers da Valerius iniciou-se há dois anos e é liderada por Patrícia, a filha de Vilas Boas Ferreira, que após se licenciar em Economia trabalhou durante três anos na Valerius, durante os quais, nas palavras do pai, “aprendeu a  perceber o que é um problema, como se resolve um problema e o que é não sair da fábrica até o problema estar resolvido”.

“Não foi por ser minha filha que lhe entreguei a liderada deste projeto. É porque é  essencial que toda a gente fale a mesma língua. Confiei-lhe essa missão porque as bloggers são da geração dela. Falam a mesma língua. Não podia por uma comercial que durante 30 anos trabalhou no modelo convencional a ser a interlocutora das bloggers”, afirma Vilas Boas Ferreira.

“As nossas empresas têm muito a ganhar se se posicionaram para este tipo de negócio, que não é uma moda passageira, mas uma tendência. Se queremos levar a ITV portuguesa para um nível superior, temos de nos agarrar a estas novas tendências. Se as vendas online estão a duplicar de dois em dois anos não é porque a economia esteja a crescer a esse ritmo – é porque alguém está a perder negócio e a ficar pelo caminho. Os millennials e a Geração Z não estão virados para a loja tradicional”, conclui o presidente da Valerius. 

A Valerius emprega 146 pessoas na sua fábrica em Vila Frescainha, Barcelos, e fechou 2018 com um volume de negócios  na ordem dos 32 milhões de euros, dos quais 99% exportados – o 1% correspondem, grosso modo, às vendas no mercado interno na marca própria Concreto.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirColeção
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER