Vendas da Luxottica no primeiro trimestre prejudicadas pelo mau tempo

O grupo especializado em óculos Luxottica, proprietário de marcas como a Ray-Ban, manteve as suas projeções anuais após registar queda de 0,8% na receita do primeiro trimestre devido ao mau tempo e aos esforços para controlar melhor a distribuição no atacado.



Incluindo o impacto de um euro mais forte, especialmente em relação ao dólar americano, as vendas do maior grupo de óculos do mundo caíram 11% no período de janeiro-março, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A Luxottica espera concluir em maio a fusão com a fabricante de lentes Essilor, gerando uma empresa de óculos gigante avaliada em 50 mil milhões de euros, capaz de responder à procura por óculos de uma população mundial envelhecida, enquanto a competição fica mais acirrada.

A receita de atacado da Luxottica caiu 4,2% em moeda constante no primeiro trimestre, uma vez que o mau tempo na Europa, especialmente em março, levou os lojistas a adiarem as encomendas. A empresa também está a enfrentar dificuldades com as políticas de distribuição mais restritas.

As vendas do retalho diminuíram 0,6% em termos de lojas comparáveis ​​e líquidas de variações cambiais, enquanto o forte desempenho da Sunglass Hut foi mais do que compensado pelas vendas fracas de óculos de sol na Europa e pelas dificuldades contínuas no retalhista ótico do grupo, LensCrafters.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 All rights reserved.

ÓculosNegócios
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER