×
350
Fashion Jobs
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
20 de out de 2020
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

VF Corp mostra sinais de recuperação com lucros acima do esperado

Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
20 de out de 2020

As consequências financeiras da pandemia de Covid-19 continuam a fazer-se sentir, mas o grupo de vestuário e calçado VF Corporation, com sede em Denver (Colorado), realizou ainda assim um lucro líquido de 256,7 milhões de dólares (218,42 milhões de euros) no segundo trimestre, encerrado a 26 de setembro.


A VF Corp registou crescimento na China, bem como no canal digital - Instagram: @vans

 
Estes números são consideravelmente inferiores aos lucros de 649 milhões de dólares (552,22 milhões de euros), ou 1,55 dólares (1,32 euros) por ação, registados pela empresa no mesmo período do ano passado.
 
Mas, o lucro por ação ajustado do grupo ainda atingiu 0,66 dólares (0,56 euros), enquanto os especialistas da FactSet esperavam 0,48 dólares (0,41 euros), de acordo com informações publicadas pela MarketWatch.

O volume de negócios trimestral da empresa, proprietária das marcas Vans, The North Face e Timberland, caiu 18% para 2,6 mil milhões de dólares (2,21 mil milhões de euros) de 3,2 mil milhões de dólares (2,72 mil milhões de euros) no mesmo período do ano passado. Esta queda deve-se principalmente ao encerramento de lojas e à contração da demanda impulsionada pela pandemia de coronavírus, além das medidas restritivas impostas em todo o mundo para conter a sua propagação.

Neste trimestre, o segmento outdoor do grupo foi o que mais sofreu, com uma queda de 24% nas vendas. O segmento activewear acusa, por sua vez, um declínio de 15%. Já o vestuário de trabalho viu o seu volume de negócios aumentar 14%.

No trimestre, as vendas da VF nos Estados Unidos caíram 21%. No estrangeiro, a queda é de 15%, sendo -16% na Europa e -38% nos mercados americanos fora dos Estados Unidos. Na Ásia-Pacífico, a tendência é de subida, com +2%, graças a um salto de 21% na China continental.
 

Vendas online aumentaram 44% no trimestre


 
Por canal, as receitas da venda direta perderam 17% no trimestre, enquanto a venda direta online apresentou um notável crescimento de 44%.

Para o primeiro semestre fiscal, a VF reporta um volume de negócios de 3,7 mil milhões de dólares (3,15 mil milhões de euros), abaixo dos 5,2 mil milhões de dólares (4,42 mil milhões de euros) do mesmo período do ano passado. O prejuízo líquido do período atingiu os 28,9 milhões de dólares (24,59 milhões de euros), contra um lucro de 698,2 milhões de dólares (594,08 milhões de euros) um ano antes.
 
Steve Rendle comentou através de um comunicado: “Por enquanto, os nossos resultados superam as previsões que havíamos elaborado internamente, principalmente graças ao digital e à China, duas das nossas principais áreas de crescimento.” O CEO da VF continua: “Começamos a ver sinais de estabilização e fortalecimento em todos os aspetos da nossa atividade, o que sustenta a nossa decisão de aumentar os dividendos e publicar previsões financeiras para o balanço anual.”
 
A VF espera atingir vendas anuais de pelo menos 9 mil milhões de dólares (7,66 mil milhões de euros), o que representaria uma queda de cerca de 14% numa base ajustada em relação ao ano passado. A renda anual por ação ajustada deverá ser de 1,20 dólares (1,02 euros), no mínimo.
 
Numa altura em que procura superar os desafios económicos provocados pela crise do coronavírus, o grupo reformulou recentemente a sua direção: Steve Murray foi nomeado presidente da The North Face, enquanto Winnie Ma assumiu as rédeas do negócio da VF para a Grande China.

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.