Victoria's Secret deixa de televisionar o seu desfile de lingerie

O desfile anual da Victoria’s Secret, conhecida pelos seus sutiãs incrustados de joias e modelos com enormes asas de anjo, deixará de ser transmitido pela televisão,informou a empresa americana. 


Ver o desfile
Victoria's Secret 2018 - primavera-verão 2019 - Moda Feminina - Nova Iorque - © PixelFormula

A empresa proprietária da Victoria's Secret, L Brands, informou na última sexta-feira que está a repensar o especial de televisão da marca de lingerie e que a Victoria Secret’s "deve evoluir e  e mudar para crescer", uma vez que pretende transformar os seus negócios.

"Nos últimos meses, dissemos que iríamos rever todos os aspetos dos nossos negócios", disse a empresa num comunicado enviado aos funcionários pelo CEO Les Wexner. O documento pode ser encontrado em capturas de ecrã online e foi publicado em primeira mão pela CNBC.

“Decidimos repensar o tradicional Victoria's Secret Fashion Show. No futuro, não acreditamos que a televisão seja a opção certa”, disse Les Wexner. A empresa não respondeu de imediato aos pedidos de comentários da Reuters.

A decisão responde às crescentes críticas à transmissão televisiva - que conta com modelos como Gigi Hadid, Kendall Jenner, Alessandra Ambrosio e Lily Aldridge a desfilar na passarela em roupas interior - considerada machista e insensível.

A Victoria Secret’s, considerada anteriormente como uma das grandes referências em lingerie, tem vindo a perder muitos clientes, à medida que as mulheres estão a optar cada vez mais por sutiãs desportivos e mais baratos, de marcas como Aerie, da American Eagle Outfitter. A linha de lingerie da cantora pop Rihanna, Savage X Fenty, também conquistou uma fatia de mercado da retalhista em dificuldades.

No ano passado, Edward Razek, diretor de marketing da L Brands, provocou revolta ao dizer que não havia espaço para modelos plus-size ou transgénero no desfile da Victoria Secret's "porque o desfile é uma fantasia”.

A audiência do desfile na televisão caiu nos últimos anos. O último desfile, apresentado em dezembro de 2018, e transmitido pela rede ABC, propriedade da Walt Disney Co., foi assistido por 3,3 milhões de americanos, em comparação com 12 milhões em 2001, quando foi transmitido na televisão pela primeira vez. A ABC Television ainda não quis comentar sobre o assunto.

Les Wexner disse em comunicado que a empresa com sede em Columbus, Ohio, se vai concentrar na criação de conteúdo e "num novo tipo de evento" que irá chegar aos clientes “através das plataformas nas quais estes estão conectados", sem dar mais detalhes.

Os investidores pediram à L Brands para separar os seus negócios da Victoria's Secret e da Bath & Body Works. Em março, o investidor Barington Capital aconselhou a empresa a contratar consultores e explorar um desmembramento da marca Victoria Secret’s, que tem obtido resultados fracos, ou tornar pública a Bath & Body Works, que é uma marca financeiramente mais forte.

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirLingerieMédiasDesfiles
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER