×
307
Fashion Jobs
Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
2 de dez. de 2022
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Victoria's Secret regista uma queda de 9% nas vendas no terceiro trimestre

Traduzido por
Novello Dariella
Publicado em
2 de dez. de 2022

A Victoria's Secret & Co. divulgou, na quarta-feira (30 de novembro), os resultados do terceiro trimestre. Com uma queda de 9% para 1,318 mil milhões de dólares (1,26 mil milhões de euros), as vendas da empresa americana, sediada em Reynoldsburg, Ohio, sofreram com uma diminuição de dois dígitos nas vendas em base comparável, parcialmente compensadas pelo aumento do volume de negócios no exterior.


AVictoria's Secret regista uma queda de 9% nas vendas no terceiro trimestre - Victoria's Secret


Apesar dessa queda nas vendas, os resultados trimestrais ficaram em linha com as previsões da empresa, que esperava uma queda de receita entre 5% e 10% em relação ao terceiro trimestre de 2021. As vendas comparáveis caíram 11% em relação ao mesmo período do ano anterior.

No entanto, no exterior, as vendas internacionais tiveram um crescimento de 43%, gerando 163,5 milhões de dólares (156,61 milhões de euros). Já na América do Norte, estas caíram para 1,3 mil milhões de dólares (1,25 mil milhões de euros), ante 1,6  mil milhões de dólares (1,53 mil milhões de euros) no terceiro trimestre de 2021.

No terceiro trimestre, a empresa especializada em lingerie obteve um lucro líquido de 24 milhões de dólares (22,99 milhões de euros), ou 0,29 dólares (0,28 euros) por ação. Este resultado superou as estimativas da empresa de 0,00 a 0,25 dólares (0,24 euros) por ação diluída. No terceiro trimestre de 2021, estes valores foram respetivamente 75 milhões de dólares (71,84 milhões de euros) e 0,81 dólares (0,78 euros) por ação.

"Já somos uma empresa independente de capital aberto há quase ano e meio e continuamos a fazer progressos significativos na nossa transformação para alcançar o nosso objetivo de celebrar e empoderar todas as mulheres. Criamos uma plataforma financeira sólida com uma nova estrutura operacional mais ágil. Apesar do ambiente macroeconómico complexo, conseguimos atingir um lucro operacional e um lucro por ação diluída acima das nossas expectativas. Com nossa abordagem centrada no cliente e com as nossas prioridades estratégicas, estamos bem posicionados para alcançar resultados neste contexto em que as expectativas do consumidor estão a mudar", disse Martin Waters, CEO da Victoria's Secret.

"Durante o nosso Dia do Investidor, em outubro, discutimos o nosso plano estratégico de crescimento, que está baseado em vários eixos guiados por três princípios fundadores: fortalecer a nossa estrutura, estimular o crescimento e transformar a nossa base. Graças às nossas duas marcas, que são referências na indústria de lingerie e beleza, estamos convencidos de que podemos atingir os nossos objetivos financeiros de longo prazo, reinvestir nos nossos negócios e entregar valor aos nossos acionistas. Nesta lógica de criação de valor de longo prazo, anunciamos recentemente a aquisição da Adore Me, uma marca de moda íntima digital e baseada em tecnologias. Esta decisão coloca-nos numa posição estratégica para acelerar o nosso crescimento. Usaremos o know-how da Adore Me e as suas tecnologias para melhorar a experiência de compra dos nossos clientes e acelerar a modernização da nossa plataforma digital. E este é apenas um exemplo das medidas que vamos tomar para atingir os nossos objetivos de crescimento a longo prazo".

Para o ano inteiro, a Victoria's Secret prevê uma queda nas vendas de 6% a 7%, em comparação com os 6,785 mil milhões de dólares (6,5 mil milhões de euros) em receita do ano fiscal de 2021.
 

Copyright © 2023 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.