×
368
Fashion Jobs
JD SPORT
Marketplace Business Developer (m/f)
Efetivo · Maia
FOREO
Business Development Specialist
Efetivo · Lisbon
SALSA
Ecommerce Product Specialist – Oportunidade de Especialização em Ecommerce
Efetivo · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Buyer (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs HR Services - Compensation (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Sap Fico Consultant (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Specialist Gbs Direct to Consumer Ecommerce (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Sales Associate Part-Time - Centro Comercial The Style Outlets - Vila do Conde
Efetivo · Porto
TIFFOSI
Gestor de Produto (m/f)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Demand Planner (m/f)
Efetivo · Maia
ADIDAS
HR Specialist Gbs Operations - General Admin - German Speaker (M/F/D)
Efetivo · Porto
ADIDAS
Senior Director Gbs Accounting & Tax Europe (m/f)
Efetivo · Porto
JD SPORT
Architect Trainee (m/f)
Estágio · Maia
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja (Part-Time) - Parque Atlântico (Açores) - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Ponta Delgada
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja (Full-Time) - Évora Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo · Évora
ANDRÉ COSTA S.A.
Sales Assistant
Temporario · PORTO
SWAROVSKI
Vendedor(a) - Outlet Vila do Conde (20/25 Hrs)
Temporario · OPORTO
MINGA LONDON
Copywriter - English
Efetivo · GUIMARÃES
MAJE
Vendedor(a), 20hrs - Porto Norte
Temporario · PORTO
ADIDAS
Specialist Retail DTC (M/F/D) - Temporary
Temporario · Porto
ADIDAS
Associate Accountant Accounts Payable (m/f)
Efetivo · Porto
Por
Jornal T
Publicado em
28 de mai. de 2021
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

VOOD encontrou a fórmula para incorporar madeira no vestuário

Por
Jornal T
Publicado em
28 de mai. de 2021

A VOOD é uma empresa portuguesa que acaba de apresentar uma inesperada inovação: a incorporação de madeira em peças de vestuário, calçado e acessórios para homem. É através de técnicas a laser e vários tratamentos que a empresa consegue transformar a madeira comum numa estrutura flexível que combina com uma base de tecido em algodão orgânico, tornando as peças confortáveis, esteticamente aprazíveis e altamente duráveis.



A proposta conta já com certificado internacional. A madeira usada é geralmente de nogueira ou faia e é possível lavar e passar a ferro as peças assim produzidas sem que as suas características sofram qualquer alteração. Segundo descreve o fundador e CEO da VOOD, João Reis, o processo de gravação a laser é moroso e consiste em criar “mini quadrados que fracionam a folha de madeira e tornam-na flexível”. Importa sublinhar que a madeira não se desintegra e há um total aproveitamento da área cortada.

O processo tem também a particularidade de permitir criar produtos únicos: “cada peça é diferente da outra, todas provêm de uma parte diferente da folha da madeira, se calhar de uma árvore diferente, e isso dá-lhes exclusividade, por exemplo, em termos de tonalidade”, explica João Reis.

Já no calçado, a madeira assume-se como um substituto da camurça e ocupa mais de 50% do sapato. João Reis começou por “perceber junto dos trabalhadores que materiais devia juntar à madeira sem lhe tirar valor” e chegou à conclusão que a pele de vaca natural, devido à respirabilidade e resistência do material, seria a melhor opção. Apesar de não ser um produto cruelty free, o empresário explica que é uma “pele certificada e vem da indústria alimentar, que caso não fosse usada para este fim seria incinerada e causaria mais poluição”.

Com raízes em Gondomar, a VOOD divide o processo de produção com empresas conceituadas na área de têxtil e calçado. “A parte dos acessórios somos nós a fazer internamente. O vestuário e calçado estamos a fazer em parceria com empresas de Guimarães e Felgueiras. Disse-lhes desde o inicio que não era nenhuma Versace nem Gucci e que não ia encomendar 5 mil ou 10 mil peças de cada, quem quisesse associar-se muito bem, senão tinha de ir bater a outra porta. Somos pequenos e não temos capacidade para encomendar ainda em grande escala, mas temos parceiros ótimos que confiam plenamente no projeto”, remata o criador do projeto.

A marca surgiu em 2019 e começou por tentar conquistar o público português, embora João Reis confesse “que em termos de mercado não somos fortes para a compra deste tipo de artigos mais exclusivos e com um patamar de preço um pouco mais elevado”. Atualmente está a apostar na comunicação e na internacionalização da marca: a perspetiva é chegar aos países nórdicos e à Holanda, mas João Reis não deixa de referir os contactos B2B que tem estabelecido com algumas lojas multimarca nacionais.

Sobre uma possível coleção de mulher, o fundador da VOOD recorda que começou por introduzir alguns acessórios como pulseiras e bandoletes, mas a aceitação por parte dos homens foi melhor. “Acredito que não podemos queimar etapas e vou deixar a marca evoluir como o mercado assim o desejar”, conclui.

Copyright © Jornal T. Todos os direitos reservados.