×
368
Fashion Jobs
MINGA LONDON
Ecommerce Manager
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
MINGA LONDON
Head of Creative Content / Art Director
Efetivo - CLT · GUIMARÃES
SALSA
IT Retail Systems Specialist – Oportunidade de Suporte e Participação em Projetos de IT
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
GIANNI KAVANAGH
Marketing Director
Efetivo - CLT · BRAGA
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
BROWNIE
Store Manager
Efetivo - CLT · LISBOA
SANDRO
Sales Assistant 12hr Corner Porto h/m
Trainee · LARAMIE
LION OF PORCHES
Gerente (m/f) - Algarve Shopping
Efetivo - CLT · GUIA
LION OF PORCHES
Gerente (m/f) - Oeiras Parque
Efetivo - CLT · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - 40h - CDI - Eci Lisboa - H/F
Efetivo - CLT · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Gestor de Loja - 40h - CDI - Lisboa Colombo - H/F
Efetivo - CLT · LISBOA
CLAUDIE PIERLOT PORTUGAL
Vendedor(a) - 40h - CDI - Lisboa Colombo - H/F
Efetivo - CLT · LISBOA
TAPESTRY
Sales Associate ii - ce pt Vila do Conde (20-39 Hours)
Efetivo - CLT · Vila do Conde
SALSA
Estágio Curricular - People & Talent
Estágio · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Estação Viana - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Viana do Castelo
THE KOOPLES
Store Manager
Efetivo - CLT · LISBOA
HUGO BOSS
Sales Associate Hugo Boss Factory Outlet Almancil (f/m)
Efetivo - CLT · Quarteira
Por
Reuters
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
3 de jan de 2018
Tempo de leitura
3 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Washington bloqueia compra da Moneygram pela Alibaba

Por
Reuters
Traduzido por
Estela Ataíde
Publicado em
3 de jan de 2018

(Reuters) - A especialista americana de pagamentos eletrónicos MoneyGram International e a Ant Financial Services, braço financeiro da gigante chinesa de comércio eletrónico Alibaba Group Holding, anunciaram esta terça-feira o abandono do seu projeto de fusão devido à oposição por parte das autoridades americanas. 


Photo d'archives/REUTERS/Heinz-Peter Bader


Num comunicado conjunto, os dois grupos explicam que a oferta de 1200 milhões de dólares (cerca de mil milhões de euros) da Ant Financial para a compra da MoneyGram não recebeu a aprovação por parte do Comité americano de investimentos estrangeiros (CFIUS). Este último decide sobre as operações transfronteiriças suscetíveis de representarem um risco para a segurança nacional.
 
“Apesar dos nossos esforços contínuos para trabalhar de forma construtiva com o governo americano, tornou-se claro que o CFIUS não irá autorizar esta fusão”, disse Alex Holmes, CEO da MoneyGram. As ações da MoneyGram caíram 8,5% para 12,06 dólares nas pós-negociações em Wall Street.

De acordo com fontes próximas, a MoneyGram e a Ant propuseram concessões em três ocasiões para tentar obter a aprovação por parte do CFIUS, cujas preocupações se prendem principalmente com a segurança dos dados que pudessem ser utilizados para identificar cidadãos americanos.

O veto do CFIUS representa um revés para Jack Ma, fundador e presidente executivo da Alibaba, que em janeiro de 2017 prometeu a Donald Trump, então presidente-eleito, criar um milhão de postos de trabalho nos Estados Unidos.
 
O governo americano tem endurecido a sua posição relativamente à tomada de controlo de empresas americanas por entidades chinesas, enquanto Trump aumenta a pressão sobre Pequim no que diz respeito à questão da Coreia do Norte e em matéria de intercâmbios comerciais.

O CFIUS bloqueou também a proposta de aquisição da seguradora de vida Genworth Financial pelo China Oceanwide Holdings Group por 2700 milhões de dólares, a compra da empresa de marketing móvel AppLovin pelo fundo chinês Orient Hontai Capital por 1400 milhões de dólares e a OPA de 1300 milhões de dólares do fundo Canyon Bridge Capital Partners sobre o fabricante de chips Lattice Semiconductor. No entanto, o CFIUS deu luz verde à compra, em 2016, da EyeVerify, uma empresa americana especializada em tecnologia ocular, pela Ant Financial.
 
“O resultado mais provável agora é que a MoneyGram se venda a um terceiro e a Euronet é uma empresa que manifestou o seu interesse no passado”, observou Gil Luria, analista da D.A. Davidson. A Ant Financial havia obtido em abril o apoio da MoneyGram à sua oferta após aumentar 36% o seu preço, para 18 dólares por ação, eliminando assim uma proposta concorrente e não solicitada da sociedade americana Euronet Worldwide.
 
A Euronet considerou existir uma “lógica comercial evidente” para uma fusão com a MoneyGram. “Ainda que continuemos a considerar que uma transação com a MoneyGram seria lógica, nada garante que seja apresentada uma oferta ou que se concretize uma transação”, indicou a empresa. A Ant Financial pagou à MoneyGram uma indeminização de rutura no valor de 30 milhões de dólares.
 
por Greg Roumeliotis

© Thomson Reuters 2021 Todos os direitos reservados.