Zona Euro: vendas a retalho descem em dezembro arrastadas pela queda alemã

Tal como esperado, em dezembro as vendas a retalho na zona euro caíram, especialmente devido à descida nas vendas de produtos não-alimentares e das compras online, puxadas para baixo pelo maior declínio nas compras na Alemanha em 11 anos.

A EU reportou um declínio de 2,9% nas vendas de têxteis e vestuário - Reuters

O Eurostat, o gabinete de estatísticas da União Europeia, revelou na terça-feira que as vendas a retalho nos 19 países que partilham o euro caíram 1,6% em dezembro, em linha com a previsão média dos economistas consultados pela Reuters. Em termos homólogos, o comércio a retalho subiu 0,8%.

O declínio mensal, que eliminou os ganhos de 0,8% de outubro e novembro, reforça a sensação de desaceleração da economia no final do ano.

O Eurostat informou na semana passada que nos três meses finais de 2018 a economia da zona euro aumentou apenas 0,2% em relação ao trimestre anterior, igualando o valor mais baixo em quatro anos do terceiro trimestre.

O sentimento económico na zona também caiu para o valor mais baixo em dois anos em janeiro, com o maior declínio entre os managers do retalho.

Nos dados divulgados na terça-feira, as vendas de produtos não-alimentares caíram 2,7% em relação a novembro, com uma queda de 2,1% nos bens eletrónicos e mobiliário, 2,9% nos têxteis e vestuário e 6,1% nas encomendas por correio e vendas pela internet.

A maior queda foi claramente na Alemanha, onde as vendas a retalho caíram 4,3% numa compração mês a mês. O gabinete de estatísticas alemão diz que a queda foi comparada com um mês de novembro muito forte, impulsionado pelas compras antes do Natal e dias com descontos como a Black Friday.

Em França, a segunda maior economia da zona euro, as vendas a retalho caíram apenas 0,1%. Na Áustria, Irlanda e Portugal as vendas a retalho aumentaram.

Traduzido por Estela Ataíde

© Thomson Reuters 2019 Todos os direitos reservados.

Moda - DiversosIndústriaDistribuição
SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER