×
Por
AFP
Publicado em
17 de fev. de 2016
Tempo de leitura
2 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Beiersdorf quer crescer mais rápido em 2016 e confirma seu bom 2015

Por
AFP
Publicado em
17 de fev. de 2016

Alemã Beiersdorf, fabricante do creme Nivea, anunciou nesta quarta-feira que conta com um crescimento das suas vendas 'mais rápido do que aquele do mercado em 2016', depois de um belo ano de 2015 para seus artigos de cosmética.

dpa


O grupo, que fabrica ainda o Balm Labial Labello, busca um crescimento "orgânico" de 3 a 4% das suas vendas (fora efeitos de câmbio e em perímetro constante), contra um avanço de 3% em 2015, destacou o grupo em um comunicado.
 
Em 2015, aliás, Beiersdorf manteve suas promessas sobre este indicador de rentabilidade: sua margem atingiu 14,4%, claramente melhor do que em 2014.

"Beiersdorf teve sucesso em 2015 (…), apesar das condições económicas difíceis", resumiu seu dirigente Stefan Heidenreich.
 
O grupo foi puxado pela boa saúde das suas vendas de cosmética – cujas marcas Eucerin e La Prairie – em 2015 e por um euro fraco que estimulou suas vendas.
 
Beiersdorf estendeu amplamente sua gama de produtos masculinos e está a trabalhar há meses para atrair mais os homens, com um grande reforço de campanhas nas redes sociais. Sua principal marca Nivea viu também seus preços aumentarem e seu volume de negócios avançar 4,5%. Assim, o grupo sai-se bem das dificuldades, apesar de uma demanda global morna.
 
Sua divisão de adesivos Tesa, que produz também os curativos Hansaplast, assinou um ano sem brilho especial.
 
Resultado, a Beiersdorf viu seu lucro líquido escalar 24,8% em um ano, indo a 660 milhões de euros. Seu lucro operativo (Ebit) avançou 20,9%, ascendendo aos 962 milhões. Desempenhos conformes às previsões dos analistas questionados pela fornecedora de serviços financeiros Factset.
 
O grupo confirmou seu volume de negócios já revelado em janeiro, que atingiu 6.700 milhões de euros.

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.