×
357
Fashion Jobs
UNREAL FIELDS
Creative/Art Director
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Commercial Product Manager - Work With Product in The Fashion Business
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
IT Development Specialist – Oportunidade de Fazer a Diferença no Dia a Dia do Utilizador Final
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
ADIDAS
Sap Fico Tech Consultant (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer (m/f) - French Speaker
Efetivo - CLT · Porto
TIFFOSI
Area Manager (m/f)
Efetivo - CLT · Faro
ADIDAS
Buyer - German Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
ADIDAS
Buyer - Italian Speaker (m/f)
Efetivo - CLT · Porto
JD SPORT
Stock Financial Controller
Efetivo - CLT · Alicante
JD SPORT
Demand Planner
Efetivo - CLT · Alicante
SALSA
Vendeur(se) Carre Senart 30h
Efetivo - CLT · Paris
LION OF PORCHES
Fotógrafo (m/f) – Vila do Conde
Efetivo - CLT · PORTO
BWGROUP
Fashion Styling And Production
Efetivo - CLT · BRAGA
BWGROUP
Fashion Design Intern
Estágio · BRAGA
CONFIDENTIAL
Concession Manager w/m - Lisboa - Full Time
Efetivo - CLT · LISBOA
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Famalicão - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Vila Nova de Famalicão
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Freeport - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Alcochete
BWGROUP
Controle de Qualidade / Tabelas de Medidas
Efetivo - CLT · BRAGA
LEVI'S
Part-Time 20h Levis el Corte Inglês Gaia
Efetivo - CLT · Vila Nova de Gaia
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Wshopping (Santarém) - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Lisboa
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Évora Plaza - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Évora
SALSA
Salsa Vendedor(a) de Loja - Albufeira - a Tua Melhor Versão
Efetivo - CLT · Albufeira
Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
1 de fev de 2021
Tempo de leitura
10 Minutos
Partilhar
Fazer download
Fazer download do artigo
Imprimir
Clique aqui para imprimir
Text size
aA+ aA-

Último dia de Alta Costura: em modo de laboratório de moda

Traduzido por
Helena OSORIO
Publicado em
1 de fev de 2021

Se a alta costura é o laboratório da moda, então os seus cientistas mais avançados tendem a apresentar as novas experiências, no último dia de apresentação das coleções para a primavera-verão 2021, na Paris Fashion Week - Haute Couture.

Vídeo da coleção ATLAS de YUIMA NAKAZATO para a primavera-verão 2021


Foi o que aconteceu esta quinta-feira (28 de janeiro), quando um quarteto de criadores  com apenas um radicado em Paris  mostrou uma moda de pensamento livre e de fluxo independente que desbravou novos caminhos tanto na moda e nos materiais como nos seus conceitos e misturas estilísticas.

A procura de um equilíbrio entre a natureza e a ciência passa a refletir-se na moda como uma preocupação dos novos tempos que se adivinham difíceis, caso a mentalidade não mude em termos de aceitação de uns e outros, revendo os afetos entre humanos e em relação ao planeta. Uma consciência que tem crescido com o surto de COVID-19.
 
Yuima Nakazato: a alta costura sem fios


Look da coleção de alta costura de Yuima Nakazato para a estação de primavera-verão 2021 - Foto: Yuima Nakazato


Quando se trata de tecidos poucos vão mais além do que Yuima Nakazato, um jovem talento japonês que trabalha com proteína fabricada e bio-smocking para fazer estruturas tridimensionais.
 
"Entre humanos e roupas há uma memória invisível", entoa o narrador oculto no seu vídeo de programa, antes de surgirem imagens bucólicas de mar, de ondas, de espuma e da linha costeira filmadas no Havai.

O tema gira em torno do conceito de memória mapeado no Atlas, um dos indicadores que nos diz de onde vimos e para onde vamos. O vídeo foi também uma conversa com apenas uma personalidade, Lauren Wasser, a modelo ativista norte-americana que perdeu ambas as pernas devido à Síndrome do Choque Tóxico (SCT) causada pela utilização de um tampão.

Vestida com uma simples T-shirt branca de gola delineada por pérolas, Wasser fala da sua fonte de inspiração e da força do desenho a partir do mar: "Quando observamos as ondas a baterem na areia e o seu rugido na rebentação (…), penso que é uma força. Observamos o mar e tudo parece tão calmo e pacífico, mas debaixo de água passa-se tanta coisa e há tanto poder que não podemos ver e que eu sinto está definitivamente connosco, carregamos muito poder que não vemos, e vendo o mar num por-do-sol é como um aviso para mim".

E a voz off questiona: "Pensa que a moda atingirá um novo nível ao fundir-se com o campo médico?"
 
"Tendo experimentado duas pernas (de carne e osso) e depois as pernas que tenho agora (artificiais), mexendo-me da forma que me mexo e correndo como corro, definitivamente sinto que vamos todos precisar de alguma forma de tecnologia para nos fazer avançar e para sermos seres melhores no futuro e eu estou mesmo à frente na curva", responde Lauren Wasser enquanto a máquina fotográfica desce até aos membros inferiores artificiais. "Sim, eu sou o futuro", sorri.
 
Segue-se Yuima Nakazato a falar sobre a coleção intitulada Artesanato: Encapsulated Reminiscence (Artesanato: Reminiscência Encapsulada), desenvolvida a partir de uma grande ideia: o recurso à Boro – a técnica japonesa de remendar vestuário que dá origem a verdadeiras obras de arte criadas a partir de fragmentos e usadas por centenas de pessoas.
 
"As roupas esculpem as suas memórias" diz. "Herdando o espírito da Boro, fundi-o com a tecnologia moderna. As aranhas desenvolveram uma forma de restaurar a estrutura dos seus fios, transformado pela água tanto quantos forem necessários no processo da sua evolução. Com a sabedoria da natureza e a tecnologia de vanguarda, eu fui capaz de criar tecidos que mudam de forma", explicou Yuima Nakazato, estudante de Moda na Antuérpia, que lançou a sua própria marca mal terminou a faculdade.
 

Lauren Wasser vestida por Yuima Nakazato, na pose em que parece afirmar: "Sim, eu sou o futuro" - Instagram @yuimanakazato


No vídeo, Nakazato mostra as suas novas ideias para tecidos que vacilam entre a natureza e a ciência e que, ajustando-se à forma de tiras emaranhadas, flutuam em suave movimento no tanque de água de um laboratório ao estilo de Damien Hirst. Antes de Lauren Wasser aparecer envolta em bruma, insinuando fios de cabelo de medusa na figura mais maravilhosa alguma vez vista com roupas psicadélicas escultóricas que mais pareciam fiadas biologicamente do que costuradas com agulha, linha e dedal.

Entre as teias de tarântulas gigantescas e o movimento ritmado do mar, Yuima Nakazato cria volumes pregueados em acordeão que desenham todo um caminho do corpo até à cabeça de Wasser coroada por um capacete bélico como um elmo de ficção científica. Este pode ser interpretado, também, como decorado com as cobras dos fios de cabelo de medusa cuja cabeça foi decepada e tombou no mar, transformando-se em corais vermelhos. Há sempre portanto a magia da mudança no belo ou no menos aceitável, na morte que gera a nova vida, na natureza que dita tudo.
 
"A vida de Lauren Wasser sobrepõe-se à nossa era difícil, uma vez que a nossa era precisa de regeneração. E a sua capacidade de superar as dificuldades representa essa necessidade", explicou o designer de moda, num Zoom a partir do seu estúdio no bairro hipster Shibuya, situado na cidade de Tóquio onde nasceu.
 
Com Yuima Nakazato, um único vestido pode ser desdobrado e transformado em múltiplos desenhos.
 
"Podem criar-se oito looks a partir de um único vestido, uma vez que não há fios, é muito, muito maleável", sorriu Nakazato, cujo quadro de humor foi a colagem de paisagens e culturas e rostos, naquilo a que chamou uma "sobre-amostragem de arte abstrata e moda".
 
Aelis: aranhas em LSD


Look da coleção de alta costura Aelis para a primavera-verão 2021 - Foto: Aelis


Spiders (Aranhas) lê-se no vídeo apresentado pela Aelis, antes de a modelo surgir numa galeria de arte, supostamente com tiques e poses característicos de aranhas que assim desempenham também um papel crucial nas teias da Aelis. Isto, porque a designer Sofia Crociani se inspirou em imagens de investigação científica dos anos 60 onde observou aranhas sob a influência de drogas (álcool, café e LSD) e teias que estas fiaram.
 
"Os resultados foram incríveis e vieram de algo que não conseguiam controlar", explicou Crociani. A designer italiana passou o tempo de encerramento nas bucólicas colinas toscanas de Val d'Orcia, cuidadosamente cultivadas, um território que se estende do sul das colinas de Siena ao Monte Amiata.
 
Embrenhada na calma da paisagem rural, Sofia Crociani começou a pensar pela natureza e através dos insetos, descobrindo as incríveis estruturas que estes conseguem gerar.
 
"Portanto, a minha mensagem está relacionada com a ecologia. De como devemos começar a descolonizar a natureza. E com o Covid a consciência disso tem crescido", explicou.
 
A ideia foi apresentada num vestido cocktail tecido com teias de renda ao estilo Barely There; ou num vestido de pradaria enfolado com a parte superior em tule, na forma de um inseto com adição de drogas.

Depois do negro o branco. Quiçá porque a real viúva-negra apresenta manchas em laranja bordeadas de branco, amarelo, dourado ou mais raramente vermelho. Talvez daí o preto seguido de looks em branco e do véu que tudo envolve na sua transparência fúcsia.

Como se todas as modelos contassem histórias dessa viúva-negra que tece e vai revelando os diferentes looks, reproduzindo os gestos de aranha para o vídeo assinado por Jacopo Godani que as identifica no interior da galeria parisiense de Suzanne Tarasieve, no elegante bairro de Marais.

E não por acaso têm como pano de fundo duas grandes telas de Georg Baselitz. "Um artista incrível que também pensou em perder o controlo", opina a costureira num Zoom pré-show.
 
Rahul Mishra: de Taj a Raj


Look da coleção de alta costura de Rahul Mishra para a primavera-verão 2021 - Foto: Rahul Mishra


Rahul Mishra  o primeiro designer indiano a expor na Paris Haute Couture Week recebeu o abalo inicial da sua coleção ao ver a aclamada nova série Blue Planet II de David Attenborough, e o resultado foi uma coleção frequentemente requintada e uma canção de amor visual à natureza e ao artesanato indiano tradicional.
 
Intitulado Dawn (Aurora), o vídeo foi filmado no melhor local da época atual da alta costura parisiense, no interior de uma pedreira de mármore imaculado, no estado indiano do Rajastão, que parecia uma paisagem lunar. O mesmo tipo de mármore branco usado no fabrico do Taj Mahal; e tal como a princesa persa muçulmana que se tornou imperatriz mongol por casamento, sendo sepultada no referido mausoléu de Agra (Índia), estas modelos pareciam princesas imensamente divinais.
 
O conceito chave de Mishra foi o de utilizar anéis mágicos e formas de cogumelo em amostras de tecidos de croché com cristais e lantejoulas pregados, criando densas nuvens de cor que se destacam na pedra que leva as marcas de um tempo infinito registado nos muitos reinos que passaram por esta região e nos seus saberes ancestrais. 
 
O vídeo mostra as mãos e os teares que tecem estes tecidos tão delicados que ganham formas de uma planta topográfica que se veste. Os padrões, as partes que se harmonizam e formam o todo que as modelos interiorizam, deitadas na imensidão desértica da pedra poeirenta branca. Curvas de uma geografia e sensibilidade únicas em cocktails de comprimento de camisa bouffant; e em cocktails compostos como se fossem vales ondulantes de lantejoulas.

THE DAWN, vídeo da coleção de alta costura de Rahul Mishra para a primavera 2021


Mishra citou Alice Walker, a poetisa autora da obra The Color Purple (A Cor Púrpura), dizendo: "Na natureza nada é perfeito". No entanto, havia um verdadeiro sentido de perfeição nos deslumbrantes ornamentos desta coleção: pequenas e delicadas flores de seda cosidas em mangas de tule nobremente exóticas ou fabulosos vestidos de flamenco de mulher fatal.

Em última análise, a mensagem que passou foi a de uma necessidade absoluta de expandir a paisagem mental, mesmo enquanto a humanidade continua a destruir o planeta.
 
Na enorme fantasia das grandes pétalas de croché e seda no final  o seu trio de modelos hipnotizantes, Laura Gavrilenko, Mansi, e Nitin Baranwal  vagueia pelo lago da pedreira até ao desfiladeiro e junta-se, espraiando-se num tronco de árvore petrificado que parece estar à deriva. Estilo de primeira classe de Priyanka Yadav e uma visão que Sir David certamente teria adorado.

Sterling Ruby: xamã californiano - chique


Look da S.R. Studio. LA. Ca. integrado na coleção de alta costura da marca para a primavera-verão 2021 - Foto: S.R. Studio. LA. Ca.


O artista californiano Sterling Ruby, com a sua marca estranhamente denominada S.R. Studio. LA. Ca., estreou-se na alta costura, embora a partir de Los Angeles e com uma coleção que apresentava apenas uma ténue ligação ao métier da alta costura.
 
Denominada Apparitions (Aparições), a coleção de Ruby ressalvava belezas funky, marchando através de fundações de betão estilhaçado de um parque de paint-ball esquecido na Califórnia. Que quase poderia ter sido uma instalação de arte do próprio Sterling Ruby, uma vez que o seu trabalho é muitas vezes apresentado em grandes instalações densamente compactadas.
 
Algumas modelos com vestidos de gola alta em veludo de efeito mosqueado, ligeiramente puritanas; outras em calças de ganga lavadas com ácido, sujas, gastas, casacos coloniais e chapéus. Isto provavelmente não soa muito bem, mas a imagem causou um grande impacto, especialmente quando o material envolveu várias pastas de rombóides de tamanho exagerado.

Filmado a 19 de janeiro, o último dia de Trump como presidente dos EUA, as notas do programa para o vídeo da coleção explicavam que se tratava de uma meditação sobre a visão da América como deveria ser divinamente ordenada. Mesmo que tenha sido difícil conseguir perceber isso só de olhar para as roupas.

APPARITIONS, vídeo da coleção de alta costura da marca S.R. Studio. LA. Ca. para a primavera-verão 2021


Havia fatos avantajados com calças masculinas em xadrez laranja e uma versão vermelha com painéis pretos, ideal para a abertura de uma galeria de arte ou para usar nos bastidores. Por outro lado, os casacos de lã de Sterling, os vestidos e os sacos de lã, foram acabados com bolas de lã que faziam referência ao seu próprio trabalho de arte têxtil.

Os primeiros passos de Ruby na alta costura foram as suas colaborações com Raf Simons enquanto esteve na Calvin Klein. Muito francamente, ainda tem um longo caminho a percorrer para se tornar um designer, quanto mais um costureiro.

Como diz o cantor-compositor e músico Michael Gira, da banda de folk-rock Angels of Light: "Há aço no ar e sangue nas rodas... Pela promessa de água andarei de joelhos".
 
Xamã-californiano em vez de alta costura, porque não? É o laboratório da moda e Sterling realizou algumas experiências.
 

Copyright © 2021 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.